Filiado e à

Sindicato dos Professores do
Ensino Oficial do Estado de São Paulo

SUBSEDE SÃO BERNARDO DO CAMPO

Rua Dom Paulo Mariano, 40
Nova Petrópolis - São Bernardo do Campo
CEP 09770-320 - SP
[email protected]

Imprimir Artigo

Assembleia decide pela greve

| Informes | 25/03/2017 | |

Movimento se inicia no dia 28/3. Nova Assembleia no dia 31/3 avaliará a continuidade do movimento. Cinquenta mil professores e professoras, reunidos em assembleia estadual na Praça da República na quarta-feira, 15, decidiram que a greve da categoria ocorrerá a partir de 28 de março, com assembleia em 31 de março, às 14 horas, no vão livre do MASP, para avaliar a continuidade ou não do movimento. Acatando proposta aprovada por amplíssima maioria na reunião do Conselho Estadual de Representantes realizada pela manhã, a assembleia votou, primeiro, praticamente por unanimidade, a realização da greve. Em seguida, aprovou o calendário apresentado pelo CER, que divulgamos neste boletim. O calendário aprovado tem uma grande importância, pois há informações de que a PEC 287 – que propõe a Reforma da Previdência e prevê regras iguais para homens e mulheres – deve entrar em votação no plenário da Câmara dos Deputados em primeiro turno no dia 28 de março e, em segundo turno, no dia 6 de abril. Ao final da assembleia, professores e professoras se dirigiram em caminhada para a avenida Paulista, onde milhares de trabalhadores e trabalhadoras de diversas categorias profissionais, entidades estudantis e movimentos sociais davam início ao ato unificado contra a Reforma da Previdência. A APEOESP se orgulha de ter sido uma das primeiras proponentes desde calendário de luta, que teve como data importante este dia 15 de março, pois tal proposta começou a ser articulada no XXV Congresso Estadual do nosso Sindicato, quando aprovamos o manifesto que orientou nossa atuação no 33º Congresso da CNTE e nosso diálogo com a CUT. O manifesto também apresentou datas que orientaram a nossa campanha salarial e educacional e a organização da greve, unificando a categoria, como agora vem ocorrendo. A reunião do CER e a assembleia fizeram uma avaliação do sentimento da categoria, que se engajou fortemente na luta neste 15 de março, chegando a um índice de paralisação superior a 80% em todo o estado. Muitas manifestações foram realizadas em grandes, pequenas e médias cidades do estado, porém, a posição predominante foi a que era necessário um tempo maior para a preparação de uma forte greve. Registre-se que, como fruto de nossa constante pressão e da mobilização da categoria para a grande paralisação que realizamos, a Secretaria da Educação agendou para 22/3 a primeira reunião da comissão paritária que discutirá o cumprimento da Meta 17 do Plano Estadual de Educação (e também do Plano Nacional de Educação) que prevê a equiparação de nossos salários aos dos demais profissionais com formação equivalente.

 

 

As mais lidas