A APEOESP, portanto, continua na luta pela retirada da Reforma da Previdência - seja qual for o aspecto que adquira - e está ativamente solidária com toda a classe trabalhadora e lutará contra qualquer tentativa de uma reforma deste tipo no estado de São Paulo.

As instâncias da APEOESP realizarão nesta quinta-feira, 23, em todo o estado uma consulta popular sobre a Reforma da Previdência. Em todas as cidades, nas escolas e em locais de grande concentração popular, estaremos presentes esclarecendo para a população os principais pontos desta chamada “reforma”, que na verdade representa a inviabilização da aposentadoria dos trabalhadores.

Nosso calendário está mantido. Na sexta-feira 24 reúne-se o Conselho Estadual de Representantes da APEOESP. Entraremos em greve no dia 28, combinando a pauta nacional com nossas reivindicações salariais e profissionais. Teremos assembleia no dia 31/3. O debate será feito e serão definidos os melhores caminhos para a continuidade da luta.

Maria Izabel Azevedo Noronha Presidenta da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo)

" />
Filiado e à

Sindicato dos Professores do
Ensino Oficial do Estado de São Paulo

SUBSEDE SÃO BERNARDO DO CAMPO

Rua Dom Paulo Mariano, 40
Nova Petrópolis - São Bernardo do Campo
CEP 09770-320 - SP
sindicatodosprofessores.sbc@gmail.com

Imprimir Artigo

A APEOESP continua na luta contra o desmonte da previdência

| Notícias | 25/03/2017 | |

Historicamente, a APEOESP tem sido parte integrante dos movimentos pela democracia e em defesa dos direitos políticos, sociais e trabalhistas de todos/as os/as brasileiros/as.

Desde agosto de 2016 estamos nas ruas denunciando a Reforma da Previdência que o governo Temer quer impor aos trabalhadores brasileiros. Somos contra o desmonte da previdência social e defendemos o direito de todos e todas se aposentarem. No dia 15 de março, mais de 50 mil professores e professoras estaduais se uniram à mobilização da classe trabalhadora na Avenida Paulista pela retirada da PEC 287/2016.

O recuo de Temer, retirando servidores estaduais e municipais da reforma previdenciária, é uma conquista da nossa mobilização, mas também sabemos que é uma tentativa de assegurar sua aprovação no Congresso Nacional, reduzindo a pressão social. Isso mostra que o governo enfrenta dificuldades. O recuo, parcial, deve servir de estímulo para mais mobilizações e mais pressão. Mostra que a luta vale a pena e que a vitória é possível.

Entretanto, não baixamos a guarda. Estamos atentos ao texto que será enviado para votação. Não admitiremos nenhuma medida que prejudique nossa categoria e a classe trabalhadora.

Por outro lado, o governador Geraldo Alckmin já se declarou favorável à Reforma da Previdência. Pode tentar fazê-la no estado de São Paulo. Estaremos atentos para impedir. Assim como no plano federal, nada justifica mexer na previdência estadual para retirar direitos. O que está em jogo é uma inaceitável concepção de Estado e de sistema previdenciário que visa impedir a aposentadoria, reduzir benefícios e "empurrar" os trabalhadores para planos privados, controlados pelos bancos.

A APEOESP, portanto, continua na luta pela retirada da Reforma da Previdência - seja qual for o aspecto que adquira - e está ativamente solidária com toda a classe trabalhadora e lutará contra qualquer tentativa de uma reforma deste tipo no estado de São Paulo.

As instâncias da APEOESP realizarão nesta quinta-feira, 23, em todo o estado uma consulta popular sobre a Reforma da Previdência. Em todas as cidades, nas escolas e em locais de grande concentração popular, estaremos presentes esclarecendo para a população os principais pontos desta chamada “reforma”, que na verdade representa a inviabilização da aposentadoria dos trabalhadores.

Nosso calendário está mantido. Na sexta-feira 24 reúne-se o Conselho Estadual de Representantes da APEOESP. Entraremos em greve no dia 28, combinando a pauta nacional com nossas reivindicações salariais e profissionais. Teremos assembleia no dia 31/3. O debate será feito e serão definidos os melhores caminhos para a continuidade da luta.

Maria Izabel Azevedo Noronha Presidenta da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo)

As mais lidas

IAMSPE

Coordenação

Conselheiros

Vídeos

Fotos

Biblioteca